Assembleias de «Irmãos» em Portugal

Estudos Bíblicos

Falta de Uniformidade?

Muitos hoje em dia insistem em afirmar que havia grandes diferenças entre as igrejas do Novo Testamento com respeito ao seu funcionamento. Recentemente lemos a seguinte afirmação: "se a uniformidade não existia nos tempos dos apóstolos, seria utopia esperá-la hoje!".

Sem dúvida havia diferenças em horários e outros detalhes, mas nunca as diferenças marcantes que vemos hoje nas igrejas. O que parece é que hoje não existe um padrão a ser seguido. As igrejas devem funcionar, então, numa maneira pragmática, cada uma fazendo o que entende? Se for assim, não há certo ou errado, se funcionar para si, tudo bem.

Vemos hoje uma variedade de sistemas de governo. Esta variedade encontra-se nas Escrituras? A resposta é não. O governo naquela época sempre foi pela pluralidade de anciãos. Os anciãos são mencionados como os que lideraram a obra em Jerusalém (At 11:30). Quando as igrejas foram estabelecidas, Paulo e Barnabé eram diligentes em apontar anciãos em cada Igreja (At 14:23). Mais tarde Paulo enviou Tito para estabelecer anciãos em todas as cidades de Creta (Tito 1:5). Ele teve o cuidado de deixar escritas as qualificações para este serviço (1 Tm 3:1-7). Diáconos também foram mencionados. Estes foram apontados quando era necessário (At 6:1-6; Fp 1:1).

Em nenhum caso achamos os apóstolos apontando um homem como o bispo ou o pastor de alguma igreja. Essa prática, que hoje é tão comum na cristandade, é totalmente sem apoio nas Escrituras. As igrejas no tempo do Novo Testamento eram uniformes na sua organização. Nestas igrejas havia liberdade para o desenvolvimento e operação dos dons espirituais (1 Co 14:26). Paulo não viu isto como uma "opção" mas sim como mandamento de Deus (1 Co 14:37). Um sistema clerical, ao restringir as pregações a um grupo de elite, limita a operação do Espírito Santo.

Quanto à Ceia do Senhor, será que podemos optar pela periodicidade que mais nos convém? A Ceia era uma parte vital do funcionamento semanal da igreja primitiva desde o dia de Pentecostes (At 2:42; 20:7; 1 Co 11). Igrejas que procuram seguir o exemplo apostólico mantêm a prática de celebrar a Ceia do Senhor semanalmente e deixam a reunião aberta para a adoração espontânea. A adoração espiritual é sufocada pelos ritos do formalismo.

O papel da mulher na Igreja foi visto no Novo Testamento como algo negociável. Não. Paulo enfatizou que nas reuniões os homens deveriam liderar e as mulheres manterem-se em silêncio (1 Co 14:34-35, 1 Tm 2:11-12). Paulo afirma que este ensino, tão marginalizado hoje, é mandamento do Senhor e acrescenta que esta era a prática universal das igrejas – "como em todas as igrejas dos santos" (1 Co 14:33). Não vemos diversidade nas palavras do apóstolo. Quando as mulheres resolveram falar nas reuniões causou uma grande confusão. Este abuso de dons levou Paulo a condenar tal atitude (1 Co 11:3-16).

Havia na conduta dos primeiros pregadores um modelo para nós hoje? Sim. O caminho deles era um caminho de fé, sem pedir ou solicitar.

Cristãos voluntariamente contribuíam para o sustento material deles. Quando era necessário, eles trabalhavam com as próprias mãos para tirar o seu sustento (At 20:33-35). Paulo disse: "Imitai-me" (1 Co 11:1). Existe um modelo melhor para o pregador de hoje?

Nos dias do Novo Testamento era possível viajar-se de ponta a ponta no império romano e sentir-se "em casa" nas igrejas. O horário das reuniões e outros assuntos menores variavam, mas a estrutura permanecia a mesma. O mesmo deveria acontecer ainda hoje. A estrutura das igrejas deveria ser igual. Os princípios neotestamentários funcionavam efectivamente em todas as culturas.

O Novo Testamento, de facto, dá orientações para que as Igrejas os sigam. Os apóstolos declararam ter autoridade divina para os seus ensinos; eram mandamentos do Senhor. Ao invés de ser influenciada pela pressão do mundo, a igreja precisa de ser o lugar onde Deus é soberano e cuja Palavra tenha autoridade. O ensino dos apóstolos precisa de ser ouvido hoje como o foi no primeiro século.

Que Deus levante pregadores e ensinadores que proclamem aquela Palavra com fidelidade.

Donald L. Norbie

"In Amados" | Publicado com Autorização

» Secção Estudos «