Assembleias de «Irmãos» em Portugal

Estudos Bíblicos

Sete Verdades Sobre a Igreja

No Novo Testamento, no livro dos Actos e nas Epístolas, há grandes verdades entrelaçadas acerca da Igreja de Deus. Por agora analisaremos rapidamente, apenas sete das mais importantes. Noutro capítulo serão mais amplamente desenvolvidas.

1º – Há um só corpo (Efésios 4: 4)

Segundo o ensino das Escrituras, só há uma Igreja. Ainda que as circunstâncias pareçam negar esta verdade, o facto permanece que, segundo o propósito de Deus, há só um corpo de crentes na terra. Apesar desta igreja não ser completamente visível ao homem, ela constitui um corpo formado pelo Espírito-Santo.

2º – Cristo é a Cabeça do Corpo místico (Efésios 5:23; Cl 1:18)

Pela analogia do corpo humano, Paulo revela-nos que, do Céu, Cristo como Cabeça domina o Corpo na terra. A cabeça, sede do intelecto, fala-nos de autoridade e domínio. A cabeça e o corpo desfrutam da mesma vida, interesses e perspectivas. Assim como a cabeça não é completa sem o corpo, do mesmo modo, num sentido real, Cristo não é completo sem a Igreja. Por isso lemos em Ef 1: 23 que a Igreja, o Seu corpo, é a plenitude d'Aquele que cumpre tudo em todos. Isto deve levar o crente a uma adoração profunda e reverente.

3º – Todos os crentes são membros do Corpo de Cristo (Actos 2:47)

No momento em que uma pessoa é salva, ingressa na Igreja espiritual, como membro do Corpo de Cristo. Esta união transcende todos os limites da raça, cor, nacionalidade, temperamento, cultura, condição social, língua ou denominação. No trecho clássico sobre os membros do Corpo de Cristo, em 1 Co 12:12-26, Paulo salienta os seguintes pontos:

  • Há muitos membros no corpo (versos 12-14);
  • Cada membro tem determinada função no corpo (versos 15-17);
  • Mas nem todos os membros têm a mesma função (v. 19);
  • O bem-estar do Corpo depende da mútua cooperação de todos os membros (versos 21:23);
  • Porque todos os membros precisam uns dos outros, não há razão para descontentamento ou inveja (versos 15-17), nem para orgulho ou independência (v. 21);
  • Porque todos são membros do Corpo, deve haver entre todos cuidado mútuo, simpatia e alegria (versos 23-26).

4º – O Espírito Santo é o Ministro ou Vigário de Cristo na Igreja (João 14:16, 26)

Depois da Sua ascensão ao Céu. o Senhor Jesus enviou o Espírito-Santo para ser o Seu Representante na terra. As actividades do Espírito Santo na Igreja revelam-se, em parte, da seguinte maneira;

  • Guia os crentes na adoração (Efésios 2:18);
  • Inspira as suas orações (Rm 8:26-27);
  • Torna poderosa a sua pregação (1 Ts 1:5);
  • Guia-os nas suas actividades, tanto positiva como negativamente (Actos 13:2; 16:6-7);
  • Levanta anciãos nas Igrejas (Actos 20:28);
  • Dá dons para o seu crescimento e utilidade (Efésios 4:11);
  • Guia os crentes em toda a verdade (João 16:13).

5ª – A Igreja de Deus é Santa (1 Co 3:17)

Dentre as nações Deus está chamando um povo para o Seu Nome. Ele separa-os para Si, para que, neste mundo pecaminoso, as suas vidas se caracterizem por uma santidade prática. Só assim é que a Igreja pode, com fidelidade, representar um Deus santo num mundo corrupto.

6ª – Os dons são dados para edificação da Igreja (Ef 4:11-12)

A vontade de Deus é que a Igreja cresça numérica e espiritualmente. E com este objectivo que Cristo ressuscitado dá dons à Igreja. Estes dons são homens (1) a quem é dada aptidão especial para edificar a Igreja. Segundo a lista que encontramos em Efésios 4:11 os dons são:

  • Apóstolos;
  • Profetas;
  • Evangelistas;
  • Pastores;
  • Doutores ou Ensinadores.

Os Apóstolos e Profetas, de início, estavam principalmente empenhados na construção da Igreja (Efésios 2:20). Uma vez lançado o fundamento, cessou a necessidade de apóstolos e profetas neo-testamentários (2) no sentido primitivo das palavras.

Contudo, ainda há evangelistas, pastores e doutores ou ensinadores. Os evangelistas são enviados aos perdidos no mundo para lhes levar o Evangelho, conduzir os pecadores a Cristo, e dirigi-los à comunhão da Igreja local.

Os pastores cuidam do rebanho, alimentando as ovelhas, e encorajando-as para que se guardem do mal. Os doutores ou ensinadores revelam a palavra de Deus duma maneira compreensível e apresentam as doutrinas bíblicas duma maneira sensata.

À medida que estes dons são usados, a Igreja cresce e os santos são edificados na sua santíssima fé. Os dons são a provisão de Deus para a expansão da Igreja.

7º – Todos os crentes são sacerdotes de Deus (1 Pedro 2:5, 9)

A verdade final que apresentamos em relação à Igreja é o sacerdócio de todos os crentes. No Velho Testamento, só eram elegíveis para o sacerdócio determinados homens da tribo de Levi (da família de Aarão). (Ver Exodo 28:1).

Nos nossos dias não se requer uma casta especial de homens, separada dos outros, nem o uso de vestes distintivas ou privilégios especiais. Todos os filhos de Deus, nascidos de novo, seus sacerdotes, com todos os privilégios e responsabilidades que o nome implica.

(1) Temos outra lista de dons espirituais em 1 Co 12:8-10; A palavra da sabedoria, a palavra da ciência, fé, dons de curar, operação de maravilhas, profecia, dom de discernir os espíritos, variedade de línguas, e interpretação de línguas. Em Efésios 4, os dons são homens cujas vidas evidentemente são consagradas ao evangelismo, ensino e obra pastoral. Em 1 Co 12 os dons são talentos ou aptidões que não se limitam necessariamente a certos indivíduos, mas que o Espírito Santo pode dar a qualquer membro do Corpo de Cristo quando e como Ele quiser. Por exemplo, qualquer crente pode, guiado pelo Espírito, proferir uma palavra de sabedoria ou de ciência, sem necessariamente ser um ensinador. Outro pode levar uma alma a Cristo, sem que seja evangelista. Em 1 Co 12:28 Paulo ainda fala de apóstolos, profetas, doutores e ensinadores, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.
A questão agora é esta: "Temos nós ainda dons de natureza milagrosa?". Em Hb 2:4 lemos que Deus usou sinais e maravilhas para autenticar a pregação primordial do Evangelho. Isto verificou-se nos tempos em que a Palavra de Deus ainda não estava totalmente reduzida a escrito. Com o complemento da Bíblia, muitos crêem que a necessidade de milagres deixou de existir. Contudo, a Bíblia não esclarece o assunto decisivamente. Embora creiamos que estes dons não existem hoje, geralmente falando, não quer dizer que o Espírito Santo não posso usá-los, especialmente onde as Escrituras são raras. Mas, neste caso, os que professam ter estes dons devem exercê-los de acordo com as instruções da Palavra de Deus (Veja-se 1 Co 14)
(2) No sentido secundário da palavra, não há dúvida de que ainda há apóstolos – homens enviados pelo Senhor. Neste sentido também ainda temos profetas, isto é, homens que, sob a direcção de Deus pregam contra o pecado e desregramentos. Mas repudiamos completamente a ideia de que haja homens, hoje em dia, que tenham a mesma autoridade que os primitivos apóstolos tiveram, ou que possam receber a mesma inspiração directa, como os profetas do Novo Testamento.

William McDonald

"Cristo Amou a Igreja" | Tradução: Viriato D. Sobral (1961)

» Secção Estudos «