Assembleias de «Irmãos» em Portugal

Estudos Bíblicos

Vamos à Reunião na Igreja

"Congregai os Meus santos, aqueles que fizeram comigo uma aliança com sacrifícios."
(Salmo 50:5)
"Onde estiverem dois ou três reunidos em Meu Nome, ali estou Eu, no meio deles."
(Mateus 18:20)

Qual é a reunião mais importante da Igreja local? Será a reunião da Ceia do Senhor, ou da evangelização, ou de oração, ou, talvez olhando para o futuro, é a reunião de juventude? E a reunião do estudo Bíblico, não é esta importante? Ou será que há reuniões demais? E as reuniões que há, são rígidas e monótonas onde não há liberdade do Espírito? Por outro lado são reuniões tão flexíveis que não há ordem, mas sim a confusão. E, se uma igreja tem 70 crentes em comunhão, porque há só meia dúzia deles na reunião de oração?

Perguntas que surgem mais facilmente do que as respostas. Mas não vamos desanimar. Vamos olhar para a Bíblia e procuremos saber quais eram as reuniões normais na Igreja nos dias dos Actos dos Apóstolos. Temos ali uma ideia de número mínimo das reuniões; além das quais tinham convívios e encontros familiares. Actos 2:44-47, que são reuniões necessárias para o bem estar duma assembleia saudável.

1 – A REUNIÃO DE ORAÇÃO (Actos 4:31)

"Tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos". A primeira reunião da Igreja era uma reunião de oração. Eles oraram e até o lugar onde estiveram tremeu, e todos foram cheios do Espírito Santo. Eles tinham a coragem de sair anunciando a Palavra de Deus, apesar da oposição das entidades, religiosas e civis.

Sete vezes no livro dos Actos lemos que homens (crentes) foram cheios do Espírito Santo, com os seguintes resultados:

  • Para falar – 2:4; 4:8 e 4:31
  • Para pastorear – 11:24
  • Para censurar – 13:9
  • Para morrer – 7:55.

Se a oração de um justo pode muito em seus efeitos, o que produzirá as orações de muitos? A Igreja nasceu num espírito de oração, e os crentes perseveravam nas orações – Actos 2:42. A reunião de oração é uma das reuniões essenciais da Igreja; sem ela as chuvas de bênçãos, tão desejadas, nuca virão.

Caro irmão/irmã, porque não vai à reunião de oração da Igreja? Dê a sua resposta ao Senhor... diga-lhe: "Senhor, não vou à reunião de oração porque..." ...

2 – A REUNIÃO DE ESTUDO BÍBLICO (Actos 15:30-31)

"Ajuntando a multidão, entregaram a epístola, e quando a leram, alegraram-se pela exortação". Genericamente falando, a reunião do estudo Bíblico em muitas igrejas consiste em um irmão convidado de fora dar um discurso sobre determinado trecho de Bíblia escolhido por ele próprio. Os ouvintes, poucos ou muitos, ouvem o discurso, que pode ser muito bom, e vão-se embora depois do culto, para repetir o processo na semana seguinte, e assim ad infinitum.

Irmãos, o que aconteceu à reunião do estudo bíblico quando a maior parte dos irmãos participavam com pensamentos e a discussão sobre a passagem? Claro, isto necessita de um pouco de trabalho de parte dos irmãos. Para este tipo de estudo bíblico é preciso estudar a passagem antes em casa, para estar preparado para contribuir. Mas vale a pena, dá grandes resultados, a reunião torna-se uma delícia, e não é monótona.

Num rebanho, as ovelhas não esperam pelo pastor para serem alimentados; elas procuram o alimento para si mesmas. Infelizmente, há muitos crentes que sempre querem ser alimentados pelos outros.

Há lugar na Igreja para ensinadores de Palavra, sem dúvida, mas também há lugar para um estudo bíblico onde todos os irmãos participam.

3 – A REUNIÃO DA CEIA DO SENHOR

"No primeiro dia da semana, ajuntaram-se os discípulos para partir o pão" cf. Actos 2:42; 1 Co 11:17-34. A Bíblia não nos dá instruções específicas sobre o assunto, mas 1 Co 11:26 diz "Todas as vezes". Seguindo o exemplo da Igreja do l.º século, é para todo o tempo, e até que o Senhor Jesus venha, 1 Co 11:26.

Devemos lembrar também que o Senhor Jesus disse, "fazei isto em memória de Mim". E uma ordem, não é uma opção, e o crente que não está na reunião da Ceia do Senhor está a desobedecer à Palavra de Deus. Há excepções, sem duvida, (doença, trabalho etc.), mas acho curioso como um crente pensa que pode obedecer uma parte da Palavra e desobedecer a outra. A reunião de Ceia do Senhor é uma reunião em que podemos dar ao Senhor toda a adoração e gratidão dos nossos corações, lembrando tudo o que Ele fez por nos.

4 – A REUNIÃO DO MINISTÉRIO DA PALAVRA (Actos 11:26)

"E sucedeu que, se reuniram naquela igreja, e ensinaram muita gente". O mandamento em Mateus 28:20 foi "ensinar para fazer", não para encher as cabeças dos ouvintes com mais conhecimentos, mas para guardar (cumprir, fazer) o que foi ensinado.

O Senhor deu à Igreja os dons do Espírito, entre os quais há o dom de ensinador, (doutor) – Ef 4:11.

Deve haver no programa de cada igreja um tempo para aprender a Palavra, ministrado por estes doutores. Talvez uma semana do ensino, ou um fim de semana, ou um dia da conferencia, quando as outras igrejas podem ser convidadas. Isto implica hospitalidade de parte da Igreja, mas, graças a Deus, os crentes neste país (Portugal) não são nada atrasados aqui. Têm a fama de serem bons hospitaleiros!

5 – A REUNIÃO DOS ANCIÃOS (Actos 15:6)

"Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos, para considerar este assunto". Os líderes espirituais na Igreja, (anciãos, presbíteros), ocupam um lugar de importância. Eles devem ter bons conhecimentos das Escrituras para servir como pastores do rebanho – Actos 20:28; 1 Pe 5:2. Devem, também, lembrar que eles são servos e a melhor maneira de servir é pelo exemplo, 1 Tm 4:12.

Às vezes surgem problemas na igreja local, e é necessário tratá-los o mais depressa possível. Assim, é uma boa prática ter uma reunião dos anciãos, no mínimo, uma vez por semana. Aí os anciãos podem orar juntos, buscando a direcção do Senhor, e procurando a Sua vontade para a vida da Igreja. Os anciãos, como pastores, devem conhecer o rebanho, os problemas das famílias, as aspirações dos jovens. Devem, também, procurar desenvolver os dons do Espírito na Igreja, ajudando os mais novos, e cuidando os mais velhos. Não basta ter uma "reunião dos responsáveis" de 5 ou 10 minutos depois do culto no Domingo. O cuidado do rebanho é importantíssimo, e os anciãos devem estar prontos a gastar tempo orando juntos e conversando sobre o estado espiritual da igreja. A reunião dos anciãos é, pois, uma reunião essencial da Igreja.

6 – A REUNIÃO DE CENSURA OU DISCIPLINA (1 Co 5:4)

O apostolo Paulo descrever nesta passagem uma reunião oficial da igreja para censurar ou disciplinar um crente que tenha pecado contra o Senhor e contra a Igreja.

Há certas ofensas que necessitam de disciplina, segundo a instrução Divina. O principio para seguir encontra-se em Mt 18:15-20. Antes da reunião de Igreja, os anciãos devem fazer tudo possível para ajudar o "ofensor" a chegar ao ponto do arrependimento para que ele seja restaurado à comunhão. Graças a Deus, este tipo de reunião é muito rara, na vida da Igreja.

As reuniões acima mencionadas não estão escritas por qualquer ordem da importância, e não são as únicas reuniões que se realizam na igreja local. Não falamos, por exemplo, da reunião das senhoras, ou dos jovens, ou da Escola Dominical. Mas eu penso que são reuniões essenciais para o crescimento da Igreja, e penso,- não, vou mais longe, estou convencido – que para o crente no Senhor Jesus, não há nada melhor neste mundo do que a comunhão dos santos, a família de Deus.

Devemos lembrar-nos que em todas estas reuniões o Senhor prometeu: "aí estou Eu, no meio delas" Não é isto motivo suficiente para estamos sempre nas reuniões da Igreja? Não se esqueça de Hb 10:25 – leia e pratique!

Arnold Doolan

"In Refrigério" Nº 62 | Publicado com Autorização

» Secção Estudos «