Assembleias de «Irmãos» em Portugal

História do Movimento de «Irmãos»

2.5. Carregosa (Oliveira de Azeméis)

Fevereiro de 1962

"Segundo os princípios do NT de que as Igrejas é que devem reproduzir-se em novas Assembleias, abre esta Igreja (de S. João da Madeira-Centro) uma nova Congregação – Missão em Carregosa (Oliveira de Azeméis). A Casa de Oração já está em preparação. Mercê de um testemunho de um irmão de S. J. Madeira, um seu colega de trabalho foi convertido; com este veio a família de 10 pessoas e esta família já tem cerca de 30 pessoas interessadas aguardando os Cultos. A inauguração está prevista para 18 de Fevereiro 1962".

"In Vida Abundante" Nº 14, Fevereiro de 1962

Março de 1962

"No próprio dia de manhã, um grupo de irmãos S. João da Madeira fez larga distribuição de convites e folhetos na freguesia e nos lugares limítrofes. No dia anterior tinha sido enviada uma circular com um convite às pessoas mais destacadas destes lugares explicando os objectivos do trabalho. Ao próprio pároco da freguesia foi enviada uma carta explicando que desejávamos manter com ele as melhores relações. A casa, pequena, encheu-se rapidamente a grande multidão de pessoas da terra, num largo em frente, assistiu reverentemente, provando que o povo desta terra sabe respeitar e não se deixa levar por fanáticos,em distúrbios, como havia sido propalado.

"In Vida Abundante" Nº 15, Março de 1962

Março e Abril de 1962

Aspecto parcial da multidão no culto inaugural

Carregosa em Març e Abril de 1962Os Cultos inaugurais continuaram durante 4 semanas consecutivas, sempre com excelente assistência, graças a Deus. Há um bom grupo de pessoas muito interessadas e alguns já convertidos. Um grande sector do povo tem grande interesse, mas não se manifesta por medo.

A partir da primeira semana, porém, infelizmente, levantou-se forte perturbação, movida por pobres vítimas do obscurantismo. Nunca se fizera o terço a S. José em Março, mas fez-se este ano. No fim, os assistentes do Templo Católico reuniram-se no largo a bater palmas, dar gritos e assobios...

Depois mandaram crianças e jovens para a rua a tocar latas, lançar bombas e fazer barulho em frente à Casa de Oração. Inclusivamente lançara, porcaria contra a porta, pedras, e tentaram apedrejar o carro. Fomos forçados a pedir a intervenção da Guarda que chamou e repreendeu alguns, tendo o próprio Comandante se deslocado ao lugar para admoestar o Regedor, uma família de destaque e o próprio Pároco, os verdadeiros incitadores do povo, pois inclusivamente fomos informados que o Pároco chamou o povo para fazer barulho, partir os vidros e cortar os pneus do carro.

Graças a Deus a intervenção do Comandante resultou, limitando-se a assistência do Templo Católico, nos últimos dias a reunir-se no largo a cantar hinos religiosos à mistura com «Saia! Fora!», etc.. A tal família destacada «mexeu-se» junto das autoridades para retirar a Congregação, como ela mesma confessou. Felizmente agora alguns mal educados limitam-se a gritar e assobiar quando os crentes saem dos cultos.

Os trabalhos decorrem com grande bênção. O povo foi despertado em volta incluindo o lugar de Azagães, onde há anos, em casa do falecido Sr. Raul Gonçalves piuoneiros como o Prof. Eduardo Henriques Moreira, o Dr. Alfredo Silva e outros irmãos anunciaram o Evangelho e onde há uma grande simpatia devido ao exemplo desta família.

"In Vida Abundante" Nº 16, Abril de 1962

Fonte: Revista "Vida Abundante"

» Secção História «